Água na boca

Bolo de noiva: tire suas dúvidas para fazer a escolha certa no seu casamento!

31 de maio de 2013

por Ana Karla Gomes

Imagens: Reprodução

São diversas as guloseimas servidas em um casamento, mas o bolo de noiva é disparado um dos quitutes mais desejados entre os convidados, concordam? Fora isso, independente da forma, do tamanho ou sabor, ele é um item indispensável à cerimônia.

Segundo Renilda Silva, dona do buffet homônimo, os bolos tradicionais com frutas cristalizadas e passas estão perdendo espaço para bolos mais simples com recheio de ameixa apenas, até para atender ao gosto da maior parte dos convidados. “Há um tempo, os noivos já estão levando em consideração a opção que mais agrada a gregos e troianos. Os bolos de antigamente sobravam nas mesas. O recheio de ameixa reconquistou os convidados. Nele, eu ainda gosto de botar um pouco de vinho”, explica ela.

As opções de massas, coberturas, decorações e recheios são inúmeras. Mas os pedidos mais comuns são feitos com massa de marzipan, cobertura de glacê real, decoração com pasta americana e os recheios de ameixa ou de passa triturada com nozes.

O tamanho do bolo também é um detalhe que precisa ser pensando de acordo com o número de convidados da festa. “Para um casamento de 200 convidados, o ideal é um bolo de 2 andares. Já para uma festa de 500 convidados, no mínimo, o bolo tem que ter 4 andares ou ser em forma de trevo”, comenta a doceira. Os bolos de 3 andares geralmente seguem um padrão: o primeiro andar tem de 50 a 35 cm de diâmetro; o segundo, 25cm e o primeiro, 15cm.

Para finalizar, o processo artístico, o topo do bolo precisa ser atrativo. Na dúvida entre noivinhos e monogramas, Renilda não hesita, “os noivinhos, claro! Monograma é coisa do passado”.

Bolo cenográfico – Mas também há noivos quem prefiram um bolo de noiva cenográfico. A escolha traz vantagens em vários aspectos. Além de serem produzidos por um valor muito mais baixo, evitam desperdício e ainda podem ser decorados com elementos – como a renda usada no vestido da noiva – que um bolo comestível jamais poderia ter. Sem falar que eles são uma ótima alternativa para os casamentos que serão realizados em lugares distantes e muito quentes.

Para Renilda, essa é uma opção não muito atrativa por questões óbvias, “bolo de noiva tem que ser de verdade, sim. Ele deve ser comido e muito saboreado”.

Leia também:

Grupo de noivas se fortalece no Recife
Chá Bar, Chámadrinha, Chá de Cozinha ou de Lingerie: as invencionices do pré-casamento #noivaOF
Especial cultura vegana: empreendedorismo, consumo e ideologia - Parte I

Pesquisar

Perfil

  • Ana Karla Gomes

    Editora Chefe

  • Rose Blanc

    Relações Públicas

  • Talita Corrêa

    Editora-Assistente

  • Estevão Soares

    Colunista

Arquivo

Assine nossa news e receba tudo em primeira mão

Observatório Feminino