Bem Estar

Gente com mania de doença

31 de agosto de 2015

por Observadora

hipocondria

 

Você, com certeza, conhece alguém que tem mania de doença. Isso se chama hipocondria, que é o medo crônico de ter alguma doença séria. Quem sofre com esse problema vive a expectativa de ter uma doença grave mesmo os médicos atestando que não a tem. É uma convicção que incomoda, pois ela interpreta os seus sintomas como um problema maior, mesmo que seja comprovado que nada tem ou pelo menos não se trata de algo que colocará sua vida em risco. O sentido da sua vida passa a girar em torno dessa situação.
É o medo do sofrimento que o leva a buscar a solução de problemas que ainda nem existem. Ocorre que acaba desenvolvendo sintomas gerados pelo estresse psicológico, nessa busca alucinada de comprovar sua doença através dos mais diversos exames e consultas médicas. E o que é mais inquietante é sua rejeição aos diagnósticos dos especialistas que não condizem com suas suspeitas.
O hipocondríaco é, de maneira geral, ansioso e preocupado com o corpo. Pessoas com esse distúrbio também podem ser acometidas com depressão. Não é fácil lidar com um hipocondríaco, até porque ele não aceita a opinião de ninguém. Isso afeta seus relacionamentos pessoais e profissionais. Contudo, é muito importante o apoio da família que deve acompanhá-lo aos médicos para desvendar todos esses medos criados.
É preciso –  a partir do momento que se confirma que não há nada errado com sua saúde –  procurar um tratamento psicológico para a sua angústia e medo de adoecer e morrer. É importante evitar conversas sobre doença e sempre que ele falar sobre o assunto, desviar a conversa para outros temas. Assim como também, evitar que ele consulte outros médicos desnecessariamente.
A hipocondria é um transtorno real e a família é peça fundamental para ajudar quem  tem essa obsessão por doenças. Outra forma de superar essa paranoia é com técnicas de relaxamento que mudarão seu foco de atenção, levando-o a pensamentos mais positivos.
Conheço uma pessoa que sofre com esse problema que se agravou quando teve um câncer na mama. Após o tratamento e a constatação de que a doença tinha sido vencida, ela vive buscando sinais de que o câncer voltou em outro órgão e que morrerá em breve. É uma tortura para ela e para a família, principalmente para a mãe que tem 89 anos. A situação se complica durante os exames de rotina. Ela já antecipa o resultado dizendo que o câncer voltou com metástase e sem cura. O desespero toma conta da vida de todos e ela se tranca no quarto chorando e sem querer ver ninguém. Toma remédios para se acalmar, mas nem isso resolve. Depois, com os resultados bons nas mãos, ela se acalma um pouco, sem antes, duvidar da veracidade dos resultados e da possibilidade do problema estar mascarado em  outro órgão ainda não examinado.
E, assim, vai levando uma vida estressada e angustiante. Uma vida, de fato, doente.

Imagem: reprodução



josilene1-300x286

Josilene Corrêa  é jornalista e já escreveu para o OF artigos como Viver a dois é uma ciência (ou arte)

 

 

Siga o OF no Twitter e no Instagram e curta a nossa página no Facebook

 

 

 

 

Leia também:

Três dicas para manter o erotismo em alta no seu relacionamento?
Ana Hickmann e o pesadelo de outras sete celebridades que foram vítimas de fãs com delírios psicótic...
Apaixone-se por você, pelo que faz e descubra oportunidades incríveis

Pesquisar

Perfil

  • Ana Karla Gomes

    Editora Chefe

  • Rose Blanc

    Relações Públicas

  • Talita Corrêa

    Editora-Assistente

  • Estevão Soares

    Colunista

Arquivo

Assine nossa news e receba tudo em primeira mão

Observatório Feminino