Bem Estar

Meditação alivia ansiedade, depressão e dores crônicas. Confira dicas para iniciar a prática

9 de abril de 2015

por Ana Karla Gomes

meditação (570x380)
Quando esteve por aqui, no Recife, para receber o Troféu Mulher Observadora, Cassia Kis Magro disse que voltou a meditar e contou sobre o bem que a prática proporciona. “É como limpar a cabeça, porque 90% do que passa por ela não serve para nada, então é fundamental para focar no que importa de verdade. Só em prestar atenção à respiração, já damos uma relaxada, afinal é o que nos mantém vivos”, comentou a atriz.

Diferente do que muitos pensam, meditar não é o ato de “esvaziar a mente”, mas, na verdade, é a concentração no momento presente, livre de toda a tensão e estresse, fazendo com que o corpo descanse e relaxe. Os benefícios desse relaxamento são inúmeros. Os adeptos da meditação garantem que, além de acalmar a mente, aumenta o poder de concentração, melhora na capacidade de comunicação, acelera o desenvolvimento de habilidades e talentos, além do relaxamento e rejunescimento.

Se você ainda acha que meditação é coisa de “hippie” e que perde-se tempo fazendo essas “baboseiras”, os benefício dela já são comprovados cientificamente. Um estudo feito na Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, publicado em 2014, dá aval científico à pratica: de acordo com o trabalho, meditar durante 30 minutos todos os dias ajuda a aliviar sintomas da ansiedade, depressão e dores crônicas. Ou seja, é algo muito simples que pode fazer um bem enorme ao corpo e à mente.

Conversei com minha professora de ioga, Karol Figueiredo, que medita diariamente, e peguei algumas dicas para quem quer iniciar a prática. “Comecei a meditar de verdade há um ano, antes era algo que fazia de vez em quando, mas, quando fiz um curso, percebi que não era algo tão complicado nem difícil. Apenas precisamos introduzir aos poucos no nosso dia a dia, porque os benefícios são inúmeros”, contou.

Karol reforçou a questão de que meditar não é o fato de não pensar em nada, o que seria impossível, mas deixar que os pensamentos venham e não se fixar a eles. “Assim a gente vai ententendo que não é a mente que nos comanda mas somos nós quem a comandamos. Desde que comecei a meditar, serenidade, calma, foco, atitude, bom sono, determinação fazem parte da minha vida”, falou.

Para iniciar, ela dá a dica: é bom procurar meditações guiadas, um audio que ajude a entrar no processo. Também tem momentos em grupo que sempre é bom frequentar. O Arte de Viver promove a meditação da lua cheia todo mês, aberta ao público, é só chegar. O evento acontece, na maioria das vezes, no primeiro dia da lua cheia, em dois pontos do Recife, no Parque da Jaqueria e na praia de Boa Viagem. Eu já fui e garanto: é uma experiência diferente e muito boa.

(A meditação da lua cheia acontece no Brasil todo, em todas as cidades que possuem o grupo, que está espalhado no mundo inteiro. No site deles, você descobre se tem onde você mora.)

“Para quem quer se aprofundar mesmo na coisa, tem também alguns cursos. O Arte de Viver promove o Sahsj Samadhi, que é um curso simples para aprender a meditar”, concluiu. Os mais tecnológicos podem recorrer a aplicativos que ensinam a meditar, como o “Stop, Breathe & Think”, disponível para Android e IOS, entre outros programas que podem te ajudar nesse começo.

Imagem: reprodução

Siga o OF no Twitter e no Instagram e curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Comer salada é sempre bom, mas é indispensável no verão. Aprenda receitas saudáveis e saborosas para...
Cuidados: conheça 5 sinais de que seus pés precisam de atenção
Orgasmo feminino: como saber se você já chegou lá?

Pesquisar

Perfil

  • Ana Karla Gomes

    Editora Chefe

  • Rose Blanc

    Relações Públicas

  • Talita Corrêa

    Editora-Assistente

  • Estevão Soares

    Colunista

Arquivo

Assine nossa news e receba tudo em primeira mão

Observatório Feminino