Bem Estar

O abdominal reduz a barriguinha?

19 de junho de 2013

por Observadora

Imagens: Reprodução

Por Dayana Guedes Ramalho

Muitas pessoas recorrem aos exercícios abdominais como recurso para reduzir medidas do abdômen. Entretanto será que esse tipo de exercício é realmente eficiente para esse objetivo?

Primeiramente, devemos lembrar que os músculos abdominais fazem parte da região ântero-lateral do tronco e incluem o reto abdominal, os oblíquos externos, oblíquos internos e o transverso abdominal. Esses músculos têm a função de proteção visceral, estabilização da coluna lombar e do posicionamento do tronco no espaço, auxiliando a estabilidade da postura. Dessa forma, os exercícios que fortalecem esse grupamento muscular contribuem para a biomecânica correta dos membros nos demais exercícios, bem como favorecem o equilíbrio postural, a prevenção de diástases, a proteção dessas áreas contra hérnias, o aumento da eficiência respiratória, do processo digestivo e da sustentação das vísceras.

Como podemos ver, os exercícios abdominais têm muitas funções importantes, mas sozinhos são capazes de reduzir a famosa “barriguinha” e transformar o abdômen em “tanquinho”? Vamos pensar juntos: De que é composta essa “barriguinha” que desejamos eliminar? Gordura! O que precisamos fazer para eliminar essa gordura? Emagrecer! E como emagrecer de forma eficiente e com saúde? Através da associação equilibrada dos exercícios aeróbicos, dos exercícios de força e da dieta balanceada!

Não tem receita mágica! Ainda que esteja cumprindo certinho seu treino de abdominais, o seu lindo “tanquinho” não vai aparecer se não houver o empenho em perder a indesejada camada de gordura. Por isso, faz-se necessário uma boa orientação profissional na hora de prescrever e quantificar os exercícios mediante a singularidade de cada indivíduo. Realizar os abdominais como única maneira de perder a “barriguinha” não irá funcionar. É preciso aumentar o gasto calórico para perder a gordura (através dos exercícios aeróbicos e dos exercícios resistidos), balancear corretamente a ingestão de calorias (com a orientação de um nutricionista) e por fim, investir com disciplina num treinamento eficiente de fortalecimento dos músculos abdominais.

De acordo com as pesquisas na área da Biomecânica, os exercícios abdominais mais eficientes são aqueles que promovem a instabilidade postural, pois esses músculos estarão sendo mais recrutados na medida em que são induzidos a retomar a estabilidade do tronco. Por exemplo, fica mais fácil realizar os abdominais quando o professor segura os pés do aluno, correto? Entretanto, intervindo assim, ele aumenta a estabilidade do corpo e diminui o esforço executado pelo abdômen. Quando sabemos que é a instabilidade que promove o maior recrutamento das fibras desse músculo. Salvo situações especificas, seria melhor não segurar os pés do aluno durante a execução do exercício, para que se tenha maior quantidade de fibras recrutadas durante o movimento.

Outro exemplo interessante é o abdominal realizado pendurado numa barra fixa, onde o aluno flexiona o quadril. Esse é um exercício com bastante instabilidade, pois a tendência é balançar o corpo dificultando a sua execução. Se o professor segura o aluno durante toda a realização do movimento, ele estará diminuindo a instabilidade e reduzindo, assim, a eficiência do exercício. Por isso, não pense que o bom profissional é apenas aquele que segura o aluno o tempo todo, mas sim, aquele que sabe promover a dificuldade ideal nos exercícios, estando compatível com o nível de condicionamento de cada aluno.

Mais alguns exemplos de aumento da instabilidade são os exercícios executados com as bolas, bem como a execução de movimentos realizados com a flexão do tronco e dos membros inferiores, simultaneamente.

Vale lembrar que quanto maior a dificuldade de execução do movimento, maior os riscos de se lesionar, por isso tenha sempre o cuidado de buscar orientação e supervisão de um profissional habilitado e evoluir gradativamente a complexidade dos exercícios, sem ansiedade, nem atropelos, garantindo assim, a conquista do seu “tanquinho” com bem-estar e saúde.

Bom treinamento!!!

 

 

 

 

Dayana Guedes Ramalho,

Psicóloga – CRP-02/14061

Professora de Educação Física – CREF-3977-G/PE

 

 

Leia também:

A importância do controle do peso durante a gestação
O bebê está chegando? Esclarecemos as dúvidas dúvidas mais frequentes sobre a hora do parto
Três dicas práticas para amenizar as dores nos pés após a folia do dia inteiro.

Pesquisar

Perfil

  • Ana Karla Gomes

    Editora Chefe

  • Rose Blanc

    Relações Públicas

  • Talita Corrêa

    Editora-Assistente

  • Estevão Soares

    Colunista

Arquivo

Assine nossa news e receba tudo em primeira mão

Observatório Feminino