Cultura

Com deficiência visual e ajuda da esposa, educador aposentado lança livro aos 83 anos

11 de julho de 2017

por Observatório Feminino

Depois de anos dedicando-se à educação como professor e diretor do antigo Colégio CPI, no Recife, era natural que o Coronel Hercílio Fialho Filho quisesse escrever um livro. Era um sonho que ele viria realizar aos 83 anos e com uma deficiência visual. As condições seriam adversas se ele não contasse com Vera Fialho, sua esposa de 85 anos que pôde escrever o manuscrito das ideias do marido.

“Ela foi muito importante para que esse livro chegasse até o final. Foi quem fez o manuscrito desde o primeiro ao último parágrafo. Ela foi insistente e importantíssima não apenas pela escrita, mas em sua existência. Eu devo tudo isso a ela, que foi essencial como co-autora e me ajudou a lutar contra esse problema de visão que tenho há mais de 20 anos”, conta o Coronel Fialho, com orgulho e paixão.

Assim, a quatro mãos, nasce “Rumo ao Nordeste: uma adoção predestinada e inconsciente”, livro de 216 páginas divididas em 8 capítulos. O livro é uma homenagem ao Nordeste que o acolheu quando aqui chegou com sua família há 41 anos, vindo do Rio de Janeiro.  O coronel, que a princípio veio ao Recife apenas para prestar um concurso, foi fincando raízes cada vez mais profundas na região, onde criou sua família e firmou uma carreira como educador. “Como eu poderia resgatar essa história de uma forma que justificasse a minha permanência definitiva aqui? Como contar tudo de bom sobre o Nordeste, que me acolheu, e Pernambuco, que me adotou? Depois de noites mal dormidas pensando, cheguei à conclusão de que deveria registrar o meu legado num livro”, explicou o Sr. Hercílio.

Sentindo-se mais nordestino do que muitos que aqui nasceram, ele enfatiza a força desse povo e o que eles têm de melhor: sua história, cultura, pontos turísticos, artesanato,  falando de cada estado com o carinho de um carioca-nordestino cabra da peste. “O nordestino merece toda homenagem que se faz. Creio que essa é uma muito bonita”, afirma o Coronel, que também é filho de alagoanos.

Cada capítulo conta com uma homenagem aos estados da região, tudo isso enriquecido pelo Cordel que aprendeu a admirar e a praticar em seu livro. Não bastasse essa linda homenagem, ainda fala da importância do índio e do negro para a história e as conquistas do Brasil. Em um capítulo à parte, enaltece a figura ilustre de Luiz Gonzaga, que faz parte da sua vida desde a época de criança e pôde até conhecer pessoalmente na época que o artista tinha o programa de rádio “A hora do baião”.

“Foi uma felicidade me afiliar com o Nordeste. No final do livro, conto como minha predestinação se confirma”, diz o autor, que em 2003 é reconhecido numa sessão solene na Câmara Municipal do Recife com o título de Cidadão Recifense. O livro também aborda sua contribuição para a educação em Pernambuco como gestor do Colégio CPI, que lhe rendeu uma medalha do exército pelos serviços prestados à educação no estado. O lançamento da obra acontece no dia 25 de julho, no Teatro Eva Herz, da Livraria Cultura do Shopping RioMar em Recife. O evento é gratuito e começa às 19h. É possível acompanhar as novidades sobre o livro na página do Coronel Fialho no Facebook.

SERVIÇO

Lançamento do livro “Rumo ao Nordeste: uma adoção predestinada e inconsciente”, de Hercílio Fialho Filho

Data: 25 de julho (terça-feira)

Local: Teatro Eva Herz, da Livraria Cultura do Shopping RioMar

Hora: 19h

Leia também:

O novo Grunge vem com tudo
Mostra Brasileira de Dança traz espetáculos imperdíveis de todo país
"Amamentar não é um ato de amor"

Pesquisar

Perfil

  • Ana Karla Gomes

    Editora Chefe

  • Rose Blanc

    Relações Públicas

  • Talita Corrêa

    Editora-Assistente

  • Estevão Soares

    Colunista

Arquivo

Assine nossa news e receba tudo em primeira mão

Observatório Feminino