Elas por Elas

Os animais me ajudaram a superar a depressão

8 de maio de 2017

por Observadora

 

Sou apaixonada por bichos e sabe por quê? Porque ao lado deles eu me sinto feliz e realizada. É uma missão de vida! Não tenho uma vida fácil, não sou rica e, às vezes, me pergunto como é que consigo dar conta de tanta coisa. Já fiquei muitas vezes no vermelho porque tive que pagar uma clínica e estava sem dinheiro; já me desesperei quando precisei comprar remédios e descobri que eram quase o que eu gastava com a minha feira do mês, mas aprendi a contornar esses perrengues. Para isso,  conto com a ajuda de pessoas conhecidas que se compadecem com o sofrimento dos animais. Faço rifas que também ajudam bastante e conto com a ajuda de outros protetores que doam remédios, que muitas vezes sobram do tratamento dos seus animais. É difícil porque esses remédios são caros, assim como os muitos tratamentos necessários para recuperar a saúde deles. Conto também com a cooperação de veterinários que realizam as castrações com um preço bem camarada, quando não consigo fazê-las de graça.

Aí os que não conhecem a força desse amor questionam: Por que perder tanto tempo cuidando de animais, gastando o que você muitas vezes nem tem? Outros são mais críticos ainda e me perguntam se não tenho algo melhor pra fazer do que limpar cocô de cachorros e gatos? Ah, eles não entendem o bem que isso me faz, o quanto faz bem ser o bem de alguém que não tem ninguém, que sofre com a crueldade das ruas, passando fome, sede, frio, levando chuva sem ter onde se abrigar. E muitas vezes, por conta dessa carência, procuram abrigo e são maltratados, chutados… Já cuidei de um que teve o corpinho queimado com água quente. É muita maldade que alguns humanos desumanos são capazes de fazer. Se eles parassem para entender o que esses animais nos dizem com os olhos, quando nos falam de um amor puro e verdadeiro, igual ao que tenho encontrado ao longo desses anos que resolvi dividir meu tempo com eles, seriam tão diferentes!

Minha casa pode até não ser agradável pra muita gente, pode não ter o perfume dos locais onde não existem animais, mas minha casa tem muita dignidade e amor. E disso eu não abro mão, gostem ou não meus familiares e amigos. Até porque foram esses mesmos bichinhos, que me salvaram de uma depressão que estava me levando ao fundo do poço. Foram eles que me resgataram e me mostraram uma luz que me fortaleceu e me tornou outra mulher, depois de uma separação sofrida, que demorei a superar. Essa doação, essa entrega me faz um bem enorme, muito maior do que eu faço a eles. E se fazer o bem causa impacto nessas pessoas é porque elas ainda não descobriram o amor que eu encontrei ao cuidar dos três cachorros e dez gatinhos que eu tenho em casa, e mais uns vinte que eu dou assistência na rua. Disso tudo eu só posso dizer uma coisa: permita-se essa doação e sua vida vai ganhar um novo sentido. Eles fizeram por mim o que nenhum remédio, nenhum tratamento conseguiu. Por isso, enquanto viver, dividirei com eles o pouco ou muito que eu tiver.

Dione Lima é telefonista e protetora dos animais.

Edição: Josilene Corrêa

Leia também:

Sobre ver uma amiga morrer por causa de uma depressão pós-parto
Sobre um relacionamento abusivo: "era muito dependente emocionalmente dele"
Parece que eu perdi um dedo #somostodosmirella

Pesquisar

Perfil

  • Ana Karla Gomes

    Editora Chefe

  • Rose Blanc

    Relações Públicas

  • Talita Corrêa

    Editora-Assistente

  • Estevão Soares

    Colunista

Arquivo

Assine nossa news e receba tudo em primeira mão

Observatório Feminino