Variedades

Existe diferença entre homem e mulher no mundo corporativo?

29 de abril de 2015

por Observadora

business-woman (570x428)
Hoje, trago um assunto que sempre é polêmico e aparece nos eventos que participo sobre tecnologia e gestão: o papel da mulher nas corporações. Na minha opinião é importante discutirmos papéis, funções e responsabilidades. Mas quando vejo o assunto voltado para o comportamento da mulher, tratando como gênero, de forma pejorativa, não vejo ganhos em debater.

A discussão, quando direcionada para o sexo (homem ou mulher), torna-se pessoal e invasiva, pois você esta se referindo ao comportamento da pessoa, e não ao trabalho que o profissional desempenha. Concordo que existem profissionais que não possuem um bom comportamento dentro da empresa. Ambos, homens e mulheres, podem preferir utilizar “outros caminhos” para alcançar seus objetivos. Mas cada um é responsável por sua carreira e trajetória.

Infelizmente, o brasileiro tem a péssima mania de generalizar os fatos. Ou seja, se uma mulher ou um homem fazem algo errado ou anti-ético, dentro ou fora da empresa…Pronto! A noticia corre como um foguete e antes mesmo de procurarmos ouvir a versão dos fatos, a pessoa já esta rotulada por todos conhecidos. Precisamos tratar esses assuntos com carinho, sem envolver ou explanar para muitas pessoas.

Mas a pior parte pra mim é o julgamento! Quem julga muito o outro profissional, ou mesmo a outra pessoa, não se da a oportunidade de realmente conhecê-lo, de ajudá-lo. Cria um esteriótipo baseado em algumas situações, que ele viu ou soube por alguém, e rotula da forma que ele quer. É justamente por termos essa cultura, que encontramos nas empresas os famosos Códigos de Ética, para dizer a todos profissionais, que existem regras de convivência a serem seguidas, para termos uma ambiente saudável.

Quando você julga uma pessoa, você compara os valores da pessoa com os seus. E se eles não forem iguais ou parecidos, já é o bastante você difamar o outro. Logo, se a sua amiga de trabalho ligou dizendo que não poderá comparecer hoje porque o filho esta com febre, converse, desenrole o papo, colha informações e apure os fatos para avaliar se é verdade ou não. Faça isso, antes de qualquer pensamento errôneo passar pela sua mente. Coloque-se no lugar dela e reflita! Garanto que o resultado será bom! Ser transparente é a melhor atitude que você pode ter, com seu líder, com seus amigos de trabalho e com a sua empresa.

Então, antes de sair por ai falando mal das pessoas, julgando o trabalho pelo comportamento, por ser homem ou mulher, atente-se ao fato que você foi contratado pela empresa para trabalhar, para entregar resultado. Profissionais com conhecimento, habilidade e experiência não só conseguem sustentar o seu cargo dentro de uma empresa, como conseguem desenvolver uma carreira sólida e próspera, sem distorções.

Quem se preocupa muito com a pessoa e não com o profissional, acaba ficando sem emprego. Fala muito da vida alheia e esquece de focar no próprio trabalho. Ser homem ou mulher não faz diferença para uma empresa. O que faz diferença para uma empresa é como você contribui, trabalha e desempenha o seu papel.

Bom, essa é a minha opinião sobre o assunto!

Annelise Gripp é Coach no Rio de Janeiro e escreve sobre o assunto em um blog: “O Coaching é um conjunto de procedimentos utilizados para alcançar seus objetivos pessoais e profissionais. É um processo que envolve o Coach (profissional que conhece o processo e orienta) e o(a) Coachee (pessoa que deseja atingir as metas). O Coach possui ferramentas, que quando aplicadas com o Coachee, auxilia na definição dos passos para se chegar onde deseja”.

Leia mais: Um bom líder precisa de CHA

Imagem: reprodução

Siga o OF no Twitter e no Instagram e curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Redução da maioridade penal, Eduardo Cunha e o pior congresso eleito das últimas décadas
Do deserto do Marrocos ao sertão brasileiro: viver com dignidade em regiões semiáridas é possível (p...
Pare de tentar ajudar os outros

Pesquisar

Perfil

  • Ana Karla Gomes

    Editora Chefe

  • Rose Blanc

    Relações Públicas

  • Talita Corrêa

    Editora-Assistente

  • Estevão Soares

    Colunista

Arquivo

Assine nossa news e receba tudo em primeira mão

Observatório Feminino